sábado, 20 de outubro de 2012

Gatinhos da Rua

A minha tia e umas amigas ajudam gatinhos de rua, com alimentação, medicação, esterilizações, adopções e muito carinho e dedicação.

Algumas vezes por ano, organizamos vendas de garagem e de rifas, para angariar fundos para ajudar nesta tarefa diária de protecção destes lindos animais.

Até ao fim do ano, estamos a vender rifas, 0,50€ cada.
Em sorteio, está uma pintura, intitulada "Serra da Lousã", de Christine Hélène (gentilmente, cedida pela própria).

Todos os pormenores do sorteio, na página do evento no Facebook.

Podem comprar as rifas, através do mail gatinhos.da.rua[at]gmail.com, ou na página do evento.

Ajudem-nos, comprando rifas e partilhando esta venda.

Obrigada a todos!

sábado, 6 de outubro de 2012

E o destralhamento continua...

Sem a pressão de destralhar 3 objectos/coisas por dia, o destralhamento continua, cá em casa.
Voltei a antigos locais do crime, anteriormente, destralhados: quarto, wc, quarto extra e sala.
Encontrei mais coisas para deitar fora, algumas tralhas recentes e outras que não foram consideradas tralhas, no anterior destralhamento.


Na mesa de cabeceira do quarto, numa das prateleiras, dois frascos de perfume vazios e outro novo (não gosto do perfume e, como está novo [apenas sem a caixa] está à venda).



Na casa de banho, produtos velhos e/ou fora de prazo, frascos vazios e muitas amostras já secas.
O óleo de amêndoas doces mais parecia de amêndoa amarga... que cheiro!




No quarto extra, na escrivaninha, mais umas coisitas foram definidas como tralha: um acessório de um telemóvel (este já foi para a reciclagem há tempos), pins (acho que vou tentar vendê-los), um carimbo-caneta já seco (reciclagem), um gancho de cabelo em forma de flor dos tempos da faculdade (vou doar) e uma folha de papel (para a campanha Papel por Alimentos, do Banco Alimentar contra a Fome).



No móvel da sala, uma caderneta bancária de 2006 (reciclagem para a campanha Papel por Alimentos, do Banco Alimentar Contra a Fome, depois de bem rasgadinha) e uma caneta sem tinta (algum coleccionador interessado?).



E, na mala, na carteira dos talões de desconto, uma série de talões que acabaram em Setembro. Perdido na mala, uma senha de supermercado (nunca as deixo no supermercado; guardo, sempre, para reciclar ou, se ninguém estiver na fila, nem a tiro). Tudo para a reciclagem, na campanha habitual (ver acima).

10 sinais que explicam porque não temos mais dinheiro

Por sugestão da Rita fui ler o artigo da Francine Jay, intitulado 10 signs you're not as rich as you could be. Para além de ler o artigo, que achei muito interessante, fiz o exercício, por forma a concluir se os 10 sinais se aplicam a mim, à minha vida.
Concluí que, apenas, se verificam 3 dos 10 sinais e que um nem conta; por isso, aplicam-se 2 dos sinais. Assim, posso dizer que sou o mais rica que posso ser, o que é triste... ;-)

Senão, vejamos:
1 - são poucas as roupas que tem o tal do designer logo. Se vir bem, nenhuma das peças de roupa ou acessórios é de designer, com excepção do perfume.
2 - não tenho nenhum armazém (com excepção dos quartos extra cá em casa e a arrecadação em casa da minha mãe; mas, estes, não têm qualquer custo monetário).
3 - confere: a minha casa tem mais quartos que pessoas, mas temos de ter em conta que tenho dois gatos... heheh.. Agora, a sério: na zona onde resido, qualquer casa com menos assoalhadas iria custar muito mais que a minha. Por isso, este é o sinal que se confirma, mas que não conta.
4 - só bebo água da torneira quando estou em casa e no trabalho.
5 - é muito raro ir à manicure; aliás, acho que só fui 4 ou 5 vezes, em toda a minha vida.
6 - confere: tenho resmas e resmas de canais por cabo. Sinceramente, ando a pensar em mudar o tarifário, pois gasto muito dinheiro, por mês, em televisão e internet.
7 - o meu carro é lindo e maravilhoso, mas comprei o que estava e está dentro das minhas posses, em termos de aquisição e manutenção. Tem quase 6 anos e porta-se que nem um campeão!
8 - confere: o meu frigorífico e despensa estão, quase sempre, vazios; mas, ando a tentar resolver isso.
9 - acho que nem pus pés num centro comercial no último mês e se pus foi para acompanhar alguém.
10 - não tenho cartão de crédito, nunca tive e nunca vou ter. Nunca contraí créditos para pagar seja o que for, com excepção da minha casa.

Parece-me bem, apesar de poder mudar em dois aspectos (televisão por cabo e frigorífico com comidinha).

Agora, se, com todos estes sinais de poupança (e outros que nem são, aqui, mencionados), tenho o dinheiro que deveria ter e tendo em conta que, para o ano, os impostos vão ser tramados, estou bem lixada. Ninguém enriquece a trabalhar, é o que é!

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Destralhar 3 por dia

E, assim, se chega ao último dia do projecto "Destralhar 3 por dia".
Este mês, as publicações chegaram com algum atraso, mas espero que tenham servido de inspiração.

Como já falei em publicações anteriores, ainda há muito por fazer cá em casa. Não sei se vou voltar a dar asas a este projecto daqui a uns tempos ou se vou, apenas, publicando o resultado dos destralhamentos ocasionais, mas muito necessários. A ver vamos!

Setembro - dia 30


E, como o destralhamento, não tem que ser, obrigatoriamente, no local onde resido, aqui vos mostro o destralhamento que fiz no meu quarto de adolescente, em casa da minha mãe. É mais um sítio onde há muito por fazer e este foi, apenas, o primeiro passo. Tanto neste meu quarto como na arrecadação, estão guardados livros, cadernos e pastas da escola (desde a primária até à faculdade), recadinhos e mensagens, diários, brinquedos, livros. Sei que muitas dessas coisas vão continuar guardadas, mas sei, também, que, muitas delas, encontrarão fim: outra casa, lixo ou reciclagem.

Irei dando notícias deste progresso sempre que puder fazer o destralhamento!

Como podem ver, foram muito mais que 3 objectos. Não os contei, mas temos de tudo um pouco: estojos, agrafos, horários escolares, molduras, caixas, porta-moedas, lápis, baralhos de cartas, pins, papelada diversa...
Alguns foram separados para a reciclagem no âmbito da campanha Papel por Alimentos do Banco Alimentar contra a Fome (papelada, correspondência antiga, horários escolares...); outros vão ser doados (lápis, estojos, agrafos...); outros foram para o lixo e, por fim, outros estão à venda (carteira, poster futebol, moldura...)

Setembro - dia 29


1 autocolante para colar no vidro do carro e colocar o selo da inspecção ou outro. Alguém quer?

1 livrinho de receitas com publicidade a produtos Pingo Doce. Vou retirar as receitas que me interessam e o resto vai para reciclar, no âmbito da campanha Papel por Alimentos, do Banco Alimentar Contra a Fome.

1 bateria de máquina fotográfica. A máquina "morreu" aqui há uns anos e foi substituída por outra. Infelizmente, para não variar mesmo nada e tal como acontece, por exemplo, com os telemóveis, os acessórios não são compatíveis com o equipamento novo, mesmo que seja da mesma marca e linha, como é o caso. Está à venda.

Setembro - dia 28


Mais um porta-chaves do Ikea (será que se multiplicam cá em casa?).
Tanto o porta-chaves como o copo porta-canetas/lápis, são para doar.
O enfeite para a maçaneta de porta foi, por lapso meu, comprado em duplicado e, agora, está à venda.

Setembro - dia 27


Mais uma vez, a Pipa a dar apoio moral. Ela está a dar o aval, para que aquele brinquedo possa ser doado a gatinhos desfavorecidos. Aqui em casa, é assim: somos todos solidários!

Para além do brinquedo para gatos, dois frascos que foram para o lixo, pois não sei o que é feito das tampas.

Setembro - dia 26


3 livros.
1 repetido.
2 que não me interessam. Estes dois (os roteiros gastronómicos) estão à venda.

Setembro - dia 25


Os relatos do destralhamento estão muito atrasados, mas, hoje, vão ficar todos disponíveis.

No dia 25, foram para a reciclagem 3 frascos de plástico que estavam guardados porque poderiam ser úteis para guardar qualquer coisa. A realidade é que dois deles estavam à espera dessa utilidade há anos e o outro juntou-se-lhe há poucas semanas. Mas, utilidade que é bom, nada! Só estavam mesmo a encher espaço.

Agora, irão ser úteis na criação de outros materiais: reciclagem!
Excepto, as tampas que guardo para o Projecto Tampinhas.

Nota: a Pipa está ali para me dar apoio nesta longa e árdua tarefa do destralhamento do nosso lar!